domingo, 25 de agosto de 2013

Solidão
sinto, agarrar-se aos meus ossos
minha pele
corpo meu
porque és só também

Já sei, não é ela  passagem
dela, uma mensagem
a sabedoria de uma viagem

Solidão é ser em mim
ser que sente compaixão
de mansinho
janelas abertas
sei dela
murmurando
pedindo
um canto pra ficar

Já não há opção
retornar
de onde veio
saber o que não sabia
o lugar é a equação equilibrada de todos os dias
ser, estar

Sem chorar
sem nem lamentar
de todos os caminhos
sempre lá
conselheira
solidão
vem falar


Enche o peito mais uma vez
malas feitas
caminhar.