quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Ainda bem que
a noite
é
infinita
e ainda que nem
bonita
vive a existir-me

Não há estrelas
no meu céu
que é
concreto
nesse teto
só em mim se iluminam
as pontas

Meus cigarros

Mas
ainda assim
na noite
há de ser
muitas ninfas dançam
e sátiros cantam
pois mesmo que nem bonita
viver a existir-me

A noite

Tem mil possibilidades
vãs
chorosas
e sãs

De não ser

Nenhum comentário: